Marco Histórico - Igreja Matriz de Guarujá

Igreja Matriz de Guarujá

 

Paróquia Nossa Senhora de Fátima e Santo Amaro. A primeira manifestação religiosa em louvor a Santo Amaro aconteceu em 1545, dois anos após o batismo da ilha, quando o comerciante português José Adorno inaugurou uma capela para o santo. Apesar de não existir qualquer vestígio deste templo, acredita-se que ele tenha sido construído onde hoje é a Santa cruz dos Navegantes. Durante 300 anos a devoção a Santo Amaro deu-lhe a condição de padroeiro da ilha. Em 1929, um incendio destruiu a primeira Igreja Matriz de Guarujá, somente a imagem de Santo Amaro escapou ilesa das chamas, o que lhe deu a fama de milagreiro, a imagem foi retirada do interior da igreja pela corajosa ação de Atílio Gelsomini. Sem um templo, a imagem passou a ser venerada no chalé 29 da Vila Balneária, em Pitangueiras, visto que a paróquia não tinha condições de erguer uma nova capela. Em 1934, o comerciante Ricardo Fidela se ofereceu para custear as obras de uma nova igreja desde que ela fosse consagrada a Nossa Senhora de Fátima, sua santa de devoção, que deveria também ser a padroeira da cidade. Apesar da polêmica, que durou cerca de dois anos, surgiu uma solução conciliatória e Guarujá passou a ter dois padroeiros, Santo Amaro e Nossa Senhora de Fátima, cujas imagens passaram a ocupar lugares distintos no novo templo.

 

Horário de Funcionamento:

Missas: Domingo: 08h, 09:15, 10:30, 18h, 19:15 e 20:30 segunda a sexta: 08h e 19h Sábado: 19h

 

Facilidades:

Estacionamento Estacionamento
Sanitários Sanitários
Alimentação Próxima Alimentação Próxima
Acessibilidade Acessibilidade

 

Localização:

Guarujá - SP - Brasil